Translate this page:

Rob Papen: Predator Synthesizer

Este é um post clássico da 2600Hz, links e informações podem estar desatualizadas ou indisponíveis

Rob Papen ataca novamente, chegou Predator!

O renomado sound designer Rob Papen acaba de lançar mais uma fera, o sintetizador Predator.

A história de Rob com o Sound Design é antiga, seu primeiro contato com sintetizadores foi aos 15 anos, quando adquiriu um Korg MS-20 e um sequencer SQ-10. Inspirado pelos synths, no mesmo ano resolveu estudar órgão e começou a compor música eletrônica.

Suas influências são artistas eletrônicos, como Tangerine Dream, Kraftwerk e músicos, como Vangelis, Jean Michel Jarre e Klaus Schulze.

Na área do Áudio Profissional, Rob é famoso por ter desenvolvido dois sintetizadores virtuais incríveis: o Albino, da fabricante Linplug, e o Blue, da ConcreteFX.

Como se não bastasse, ele também já trabalhou no desenvolvimento de presets para instrumentos de marcas como E-mu, Native Instruments, Alesis, Access e Waldorf!

Cuidado com o predador!

A nova criação de Rob, o sintetizador subtrativo Predator, apresenta três osciladores, dois filtros multi-mode em série, quatro envelopes, quatro LFOs e um sequenciador/arpegiador.
Como se não bastasse, o Predator ainda oferece uma seção de efeitos que vai muito além do Reverb/Chorus/Delay que estamos acostumados.

Osciladores - Rob Papen Predator

Predator: Seção de Osciladores

Osciladores

Os osciladores oferecem 128 formas de onda (!) e funções avançadas como FM, hard sync, ringmod, stereo spread e o parâmetro “simetria”, já conhecido pelos usuários do Albino.

Dentre as formas de onda estão as tradicionais, como dente de serra, triangular e quadrada e outras nada

comuns, como órgão, sete ondas de vocal e setenta e três ondas digitais, que variam entre sons “metálicos” a “cristalinos”.

Dentre as funções dos osciladores vale à pena ressaltar os parâmetros “Sub” e “Spread”. O primeiro adiciona uma onda quadrada afinada uma oitava abaixo, simulando o som encorpado dos sintetizadores analógicos e o segundo cria um efeito de “supersaw”, difundido através do sintetizador JP-8000 da Roland. Este efeito dá a sensação de que o som se tornou “maior” e mais espalhado no estéreo.

Filtros - Rob Papen Predator

Predator: Seção de Filtro

Filtros

Dois filtros em série compõem o banco de filtros do Predator. O primeiro filtro apresenta parâmetros de tipo de filtro, ressonância e traz seu próprio envelope, LFO e distorção. Já o segundo traz apenas parâmetros de tipo de filtro e freqüência de corte.

Dentre os tipos de filtros disponíveis estão treze variações, que incluem ordens de 6dB/oitava a 24db e um incrível filtro “comb”, que cria efeitos tipo Flanger.

O parâmetro de distorção, presente no primeiro filtro, permite ao usuário tirar uma sonoridade mais “suja”, que se aproxima à dos synths analógicos.

Modulações - Rob Papen Predator

Predator: Seção de Modulações

Modulações

O Predator oferece dois envelopes que podem ser livremente aplicados em praticamente qualquer parâmetro do synth.

Os três LFOs disponíveis são dedicados a efeitos rítmicos e de movimento. O primeiro deles é dedicado a

modulações de pitch, permitindo efeitos como vibrato, e os outros dois são livres para serem aplicados a diversos parâmetros do synth.

Assim como no Albino, os geradores de modulação são endereçados através de um “Modulation Matrix”, que permite inúmeras possibilidades de modulação, como, por exemplo, modular a quantidade do Spread, volume dos osciladores, panning e muito mais.

Rob é o criador do Albino e do Blue, ou seja, manteve algumas características desses synths no Predator. Uma delas é o incrível seqüenciador/arpegiador de 16 “steps”, que já estava presente em ambos. Este seqüenciador pode funcionar como um gerador de modulação, trancegate ou arpegiador.

Presets de fábrica

Para os menos acostumados, essa montanha de parâmetros pode ser um pouco assustadora a princípio. Levando isso em consideração, Rob desenvolveu treze bancos de sons, organizados por estilo como: dance, hip hop, trance, breaks, ambient sounds, drums, sound FX e synths clássicos. Cada banco pode conter até 128 timbres diferentes, mas nem todos os têm.

Conclusão

As possibilidades sonoras apresentadas pelo Predator são incríveis. O synth é muito bom para síntese de praticamente todos os tipos de sons eletrônicos, como baixos, leads, pads, efeitos, sons de electro e muito mais.

A sonoridade é bem limpa, mas também pode soar encorpada e “suja” se for isso que você está procurando. Não há chaves externas de proteção, o que pode ser um “plus” para os usuários de laptops com poucas portas USB.

Se você está atrás de um synth poderoso e versátil, definitivamente vale à pena dar uma olhada no Predator.

Acesse www.robpapen.com para conhecer o Predator e baixar a versão demo.

Deixe seu comentário
 
[formidable id=31]
Interessados em cursos